• Preço do combustível não influencia a utilização do carro pelos portugueses

    Preço do combustível não influencia a utilização do carro pelos portugueses

    A evolução do preço do petróleo não tem consequências na utilização que 57% dos portugueses fazem do automóvel. Ainda que 43% dos condutores nacionais inquiridos admitam que têm tendência a desfrutar mais da viatura quando o preço do combustível está baixo, mais de metade circulam com o carro independentemente das alterações nos valores do petróleo. Estas são algumas das conclusões do mais recente estudo do Observador Cetelem. Os portugueses são, no entanto, mais afetados pelo preço do combustível do que outros países analisados. É no Reino Unido (84%), Bélgica (81%), Alemanha (76%), França (76%) e Estados Unidos (76%) que os valores cobrados pelo combustível menos afetam a circulação automóvel, na medida em que os condutores se mostram mais indiferentes a este fator. «Muitos portugueses utilizam o automóvel como a sua forma principal de transporte. Isto significa que, seja qual for o preço do combustível, vão abastecer o seu veículo, pois […]

     
  • Portugueses são os que mais gostam de conduzir entre os europeus

    Portugueses são os que mais gostam de conduzir entre os europeus

    O Observador Cetelem, que analisou o setor automóvel a nível internacional, revela que os portugueses são os europeus que mais adoram conduzir (91%), a par com os polacos, encontrando-se também entre as nacionalidades que mais gostam de conduzir entre os países analisados. Das várias dimensões atribuídas ao automóvel, poupar tempo é a que reúne o consenso de mais condutores nacionais (97%), seguindo-se a liberdade, independência e autonomia proporcionadas pela posse de um veículo (91%). Para os condutores nacionais inquiridos, a viatura assume sobretudo características positivas. Associam-na a um objeto de prazer (72%), uma marca de modernidade (68%), um objeto de luxo/sonho (64%) e um símbolo de sucesso social (61%). Apenas 15% revelam que, na sua opinião, a viatura se vai tornar um objeto obsoleto e do passado. No que diz respeito aos aspetos menos positivos, 92% dos automobilistas portugueses referem que consideram a viatura cara e 82% associam-na a poluição, […]

     
  • 2016, um ano recorde para a Renault

    2016, um ano recorde para a Renault

    Após os muito bons resultados do primeiro semestre, o Grupo confirma a sua performance, estabelecendo, neste ano, um novo recorde. Os objetivos do plano “Drive the Change”, lançado em 2011, foram ultrapassados tanto no plano do crescimento como no dos lucros, com um ano de avanço. Isto é fruto dos esforços de todos os colaboradores do Grupo” declarou Carlos Ghosn Presidente Diretor-Geral da Renault. Em 2016, impulsionado pelo dinamismo do seu plano “Drive the Change”, o Grupo Renault atingiu um novo recorde de vendas e tornou-se, com 3,18 milhões de automóveis matriculados, o primeiro Grupo automóvel Francês no mundo. O volume de negócios do Grupo em 2016 fixou-se em 51 243 milhões de euros, uma subida de 13,1% relativamente a 2015. A taxas de câmbio constantes o volume de negócios progrediu 17,0%. O volume de negócios do ramo Automóvel foi de 48 995 milhões de euros, com uma evolução de […]

     
  • procura de carros ecológicos está a crescer exponencialmente também nos usados

    «Acreditamos que 2017 será mais um ano de grande evolução para os veículos ecológicos. É um indicador que acompanhamos com frequência, e que tem vindo a crescer de ano para ano. Em 2016, a procura por veículos elétricos na nossa plataforma aumentou 88% e por híbridos subiu 139%», sublinha Miguel Lucas, site manager do Standvirtual. O portal luso de referência no mercado eletrónico de veículos usados é uma das parcerias habituais do expoMECÂNICA – Salão de Equipamentos, Serviços e Peças Auto, que lotará a capacidade total do Pavilhão 6 da EXPONOR – Feira Internacional do Porto, de 7 a 9 de abril. A tendência no interesse e consumo de carros mais amigos do ambiente é não só muito relevante por comportar uma postura mais ecológica e sustentável, mas também porque transporta variadíssimas implicações para o negócio do tecido que dinamiza o aftermarket automóvel português. Sobretudo nos milhares de empresas e […]

     
  • O Leasing automóvel continua a ser o catalisador da atividade

    A Leaseurope, Federação Europeia das Associações de Empresas de Leasing e Renting, acaba de divulgar os resultados do sector do Leasing para o primeiro semestre de 2016. De acordo com o Inquérito Bianual do Leasing Europeu, que reúne a informação recolhida pelas associações que integram a Leaseurope, entre as quais se encontra a Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting (ALF)1, a produção total do Leasing na Europa ascendeu aos 156,9 mil milhões de euros na primeira metade de 2016, um crescimento de 13,2% comparativamente ao período homólogo. O Leasing Automóvel demonstrou uma performance particularmente positiva, progredindo 16,9% com um forte crescimento observado na grande maioria dos mercados Europeus. O Leasing de Equipamentos subiu 9,2% e o Leasing Imobiliário revelou uma queda de 8,1%. Para Paulo Pinheiro, Presidente da ALF, “estes resultados confirmam o papel decisivo do Leasing enquanto alavanca para promover o investimento e estimular o crescimento, estando em […]

     
 
 
 
 
 
 
 
 
 
www.EuautoPecas.pt