(Page 3)

  • Pneus de Inverno: um essencial para o seu veículo nesta estação?

    Pneus de Inverno: um essencial para o seu veículo nesta estação?

    Os meses de maior frio estão aí, sendo importante começar a pensar nos pneus de inverno. Portugal não é dos países com o inverno mais rigoroso, mas o uso de pneus de inverno não se destina única e exclusivamente aos países com muita neve. Leia este artigo e fique a saber mais sobre este tipo de pneus. O que são e para que servem os pneus de inverno? Os pneus de inverno são pneus projetados para garantir uma maior segurança, estabilidade e aderência durante os meses de inverno. São especialmente concebidos para serem usados com temperaturas abaixo dos 7°C. Se pensar bem, essas temperaturas são muito comuns no interior do país, mesmo que não impliquem as regiões altas! Durante o inverno, não é só de neve que falamos. As estradas ficam molhadas e as condições de condução são afetadas. Aquaplanagem e o gelo na estrada são consequências diretas da estação. […]

     
  • Conduzir com chuva? Atenção ao aquaplaning

    Os pneus novos podem dispersar até 30 litros de água por segundo a uma velocidade de 80 km/h, mas com os valores mínimos permitidos por lei no que se refere à profundidade do piso (1.6 mm) a capacidade de dispersão de água diminui em cerca de 50%. Medições elaboradas pela Continental, mostraram que com uma profundidade do piso de cerca de 3mm, os pneus retêm até 80% da sua capacidade de dispersão de água. Para determinar estes resultados, o fabricante de pneus desenvolveu uma série de testes com diferentes pneus. Os testes mostraram que à medida que a profundidade do piso do pneu diminuiu, os modelos perdem capacidade de dispersar volumes elevados de água. Quando os pneus atingem o limite dos 3mm, os condutores devem trocar de equipamento. Para ajudar a determinar a profundidade do piso, os fabricantes como a Continental e a Uniroyal instalaram indicadores de desgaste entre as […]

     
  • Automóvel é o meio de transporte mais utilizado até à escola

    Com o início das aulas, voltam as filas de trânsito para levar os filhos às escolas. As conclusões do estudo desenvolvido pelo Observador Cetelem referem que 57% dos inquiridos utilizam o automóvel para deslocações escolares. Esse valor cresce para 62% quando são os pais a levar os filhos em idade escolar até ao estabelecimento de ensino. A utilização dos transportes públicos é referida por 34% dos pessoas, embora esse valor baixe para 29% quando os portugueses têm filhos a frequentar a escola. A deslocação a pé é mencionada por 16% dos portugueses. Quando são os próprios inquiridos a estudar, a preferência vai para a deslocação em transporte público, 58%, enquanto 33% refere preferir o automóvel. No entanto, e perante a crescente dificuldade de mobilidade, e com as diversas campanhas de sensibilização quanto ao excesso de utilização dos veículos automóveis, parece existir uma maior vontade em mudar o atual paradigma de […]

     
  • Preço do combustível não influencia a utilização do carro pelos portugueses

    Preço do combustível não influencia a utilização do carro pelos portugueses

    A evolução do preço do petróleo não tem consequências na utilização que 57% dos portugueses fazem do automóvel. Ainda que 43% dos condutores nacionais inquiridos admitam que têm tendência a desfrutar mais da viatura quando o preço do combustível está baixo, mais de metade circulam com o carro independentemente das alterações nos valores do petróleo. Estas são algumas das conclusões do mais recente estudo do Observador Cetelem. Os portugueses são, no entanto, mais afetados pelo preço do combustível do que outros países analisados. É no Reino Unido (84%), Bélgica (81%), Alemanha (76%), França (76%) e Estados Unidos (76%) que os valores cobrados pelo combustível menos afetam a circulação automóvel, na medida em que os condutores se mostram mais indiferentes a este fator. «Muitos portugueses utilizam o automóvel como a sua forma principal de transporte. Isto significa que, seja qual for o preço do combustível, vão abastecer o seu veículo, pois […]

     
  • Portugueses são os que mais gostam de conduzir entre os europeus

    Portugueses são os que mais gostam de conduzir entre os europeus

    O Observador Cetelem, que analisou o setor automóvel a nível internacional, revela que os portugueses são os europeus que mais adoram conduzir (91%), a par com os polacos, encontrando-se também entre as nacionalidades que mais gostam de conduzir entre os países analisados. Das várias dimensões atribuídas ao automóvel, poupar tempo é a que reúne o consenso de mais condutores nacionais (97%), seguindo-se a liberdade, independência e autonomia proporcionadas pela posse de um veículo (91%). Para os condutores nacionais inquiridos, a viatura assume sobretudo características positivas. Associam-na a um objeto de prazer (72%), uma marca de modernidade (68%), um objeto de luxo/sonho (64%) e um símbolo de sucesso social (61%). Apenas 15% revelam que, na sua opinião, a viatura se vai tornar um objeto obsoleto e do passado. No que diz respeito aos aspetos menos positivos, 92% dos automobilistas portugueses referem que consideram a viatura cara e 82% associam-na a poluição, […]