Os magros orçamentos portugueses impossibilitam na maioria dos casos a compra de carro a pronto pagamento e a solução está muitas vezes em recorrer ao financiamento bancário. Porém, é fundamental que se conheçam algumas dicas para se obter o negócio mais vantajoso, entre as quais estão os seguintes três conselhos para poupar no crédito automóvel.

Pesquise as alternativas disponíveis
Actualmente existem diversas oportunidades pelas quais enveredar e isso é uma indubitável vantagem para quem anda à procura de um bom negócio, pois regra geral a concorrência leva à criação de (boas) propostas relevantes para o cliente. Nesse sentido, investigue um pouco o mercado, não olhando ao tempo gasto, e descubra o crédito automóvel à sua medida ou pelo menos identifique as alternativas que apresentem as melhores condições e tente rebater esses prossupostos a seu favor na altura da negociação.

Informe-se dos incentivos à compra de veículos
O incentivo ao abate já deu o que tinha a dar mas pontualmente vão surgindo iniciativas que promovem a aquisição de carro novo ou usado, sejam estas de natureza estatal ou empresarial. Enquanto aquele primeiro estímulo foi uma estratégia encontrada pelo Governo para eliminar o antiquíssimo vasto parque rodoviário do país, a crise veio por sua vez forçar as marcas a trilharem outros caminhos para animarem as vendas e tal resultou no desenvolvimento de impulsos próprios que incluem custos bonificados ou empréstimos a juros mais atractivos, algo que os concessionários de maiores dimensões também oferecem independentemente. Por isso, aproveite esta singular nova abordagem do sector automóvel nacional e encontre o financiamento certo para si.

Negoceie à luz do presente
O clima económico da nação está longe de ser ideal mas pode resultar num argumento de negociação bem importante. As vendas têm caído a pique e o valor dos carros pouco ou nada tem oscilado, o que numa conclusão inicial poderia significar que a ruptura está eminente e a margem de regatear os preços é inexistente, no entanto, há sempre uma atenção que se pode fazer no valor final e você deve utilizar esse motivo junto do vendedor, transferindo depois a mesma filosofia para a subscrição do crédito automóvel, segmento que regista perdas bastante acentuadas desde meados do ano passado. Logo, confronte diversos credores com propostas de entidades rivais, pondere aderir a produtos e serviços adicionais (que necessite, claro) ou até à consolidação de créditos que tenha, exigindo em contrapartida um custo mais reduzido na soma do todo.

 

Tags: